Incontrolável:


Fonte: [+] [-]
Original: Unstoppable
País: EUA
Direção: Tony Scott
Elenco: Denzel Washington, Chris Pine, Rosario Dawson, Ethan Suplee, Kevin Dunn.
Duração: 98 min.
Estréia: 07/01/2011
Ano: 2010


Trem desgovernado: difícil como um animal selvagem.


Autor: H. Hirao

Na década de 80, Tony Scott, irmão mais novo de Ridley Scott, provou ser um bom diretor, realizando filmes que definiram uma época como “Fome de Viver” (The Hunger, 1983) e “Top Gun – Ases Indomáveis” (1986). Nos anos 90, Scott especializou-se em filmes de ação com boa dose de suspense, como “Maré Vermelha” (Crimson Tide, 1995) e “Inimigo do Estado” (Enemy of the State, 1998).

Incontrolável é um bom filme de ação, não dá para negar. É um filme que prende a atenção com pitadas de humor para descontrair. A câmera nervosa e a montagem ágil dão ritmo acelerado. Mas parece que a fórmula de Scott está se desgastando. O ponto fraco é o roteiro, cheio de clichês que, provavelmente, ele mesmo ajudou a construir.

A história é baseada em fato real ocorrido em maio de 2001 no norte do estado americano de Ohio, perto da fronteira com o Canadá. Por duas horas, um trem percorreu aproximadamente 110 quilômetros sem condutor, sendo que dois dos seus 47 vagões carregavam produtos químicos perigosos. É possível encontrar reportagens do incidente em sites de notícias como a CNN.

O filme de Scott começa com o trem “fugindo”, de forma quase cômica. O trem escapa como um animal selvagem, que aproveita uma oportunidade para conquistar sua liberdade, correndo furiosamente por sua vida. Mas não, o trem não é um ser vivo, é uma máquina perigosa e deve ser detida. O roteiro, assim como o trem, começa devagar e vai acelerando à medida que o filme avança. Um dos primeiros momentos de tensão, por exemplo, quando o trem avança em rota de colisão a outro, lotado de crianças, poderia ser melhor explorado mas é rapidamente superado e esquecido.

Alheios à iminente catástrofe, o maquinista veterano Frank Barnes (Denzel Washington) e o novato Will Colson (Chris Pine) estão trabalhando juntos pela primeira vez, conduzindo outro trem de carga. Enquanto isso, na central ferroviária, a controladora Connie (Rosario Dawson) traça planos para evitar um desastre, mas encontra resistência de seu chefe que procura minimizar os danos para a empresa. Os personagens discutem muito na primeira parte do filme. Afinal, não há muito o que fazer: quanta ação pode haver dentro de uma cabine de trem? Pelo menos até o momento em que Frank e Will decidem perseguir o trem desgovernado. Aí, sim, a adrenalina sobe e a tensão aumenta. Desculpem o trocadilho, mas Incontrolável demora para entrar nos trilhos, depois, é bom sair da frente para não ser atropelado.

Leia também: